#Egypt: Igreja Copta denuncia ação de infiltrados

Posted on 10/10/2011

0



Com informações da Telesur

A Igreja Cristã Copta no Egito acusa infiltrados de terem causado os enfrentamentos violentos registrados neste domingo na cidade do Cairo que deixaram 25 mortos, informou nesta segunda-feira através de comunicado o chefe da igreja, o patriarca Shenuda III.
A denúncia foi publicada pela Igreja depois que seu líder se reuniu com 70 de seus bispos. Depois do encontro, Shenuda III pediu a seus fiéis que fizessem um jejum de três dias para trazer a paz à nação.

“A fé cristã denúncia a violência. Desconhecidos se infiltraram na manifestação e cometeram crimes que se imputam aos coptas”, disse o patriarca.

“O coptas tem sofrido problemas em diversas oportunidades sem que os agressores sejam processados”, denunciou o chefe da igreja que, por sua vez, chamou as autoridades a “tratar as raízes destes problemas”.

O prefeito da Congregação para as Igrejas Orientais do Vaticano, o cardeal Leonardo Sandri, considerou que era uma “violência sem sentido” registrada no domingo contra os cristãos coptas. Neste sentido, pediu às autoridades a segurança para os cidadãos.

“Para todos nós é desolador, triste e angustiante o que aconteceu e nos unimos à Igreja Copta-Ortodoxa, a todos os nossos irmãos, a suas famílias e às vítimas dessa violência sem sentido”, expressou Sandri à Rádio Vaticano.

O Cardeal pediu às autoridades egípcias que garantissem a segurança dos cristãos, muçulmanos ou quaisquer outros cidadãos do Egito, assim como seus bens e suas instituições.

Segundo informações da Telesur, do total de vítimas, doze eram soldados. Dentre os 213 feridos, 86 eram soldados.

O primeiro-ministro egípcio, Essam Charaf, advertiu sobre a existência de uma suposta “conspiração exterior contra o país que atenta contra a unidad nacional e que pretende atrapalhar o processo eleitoral”.

Ainda segundo a Telesur, “uma comissão formada por destacadas personalidades da igreja copta e dentre os muçulmanos vão tratar o assunto na noite desta segunda”.

A organização Árabe de Direitos Humanos convidou o Conselho Militar egípcio “a assumir sua responsabilidade e formar una comissão de investigação independente e emitir uma lei sobre os lugares de culto e também a formação de uma comissão que evite tratamentos racistas contra as minorias do país”.

Os choques violentos entre os coptas e o Exército ocorreram durante uma manifestação convocada pelos cristãos depois do incêndio provocado em um templo em Merinab, localidade na região turística de Asuán.

Anúncios
Posted in: Sem categoria