#ForaMicarla: Moradores tapam buracos da rua

Posted on 16/11/2011

2


Da Tribuna do Norte

Insatisfeitos com a condição das ruas, natalenses têm refeito pavimentos e aterrado vias. Os moradores da rua João Rodrigues, em Igapó, zona Norte, por exemplo, decidiram tapar a cratera existente no cruzamento entre a João Rodrigues e a rua Santa Luzia. Os moradores realizaram um mutirão ontem e taparam parte do buraco. O material foi doado por comerciantes locais. “A primeira reclamação foi feita há um ano. Se fôssemos esperar, estaríamos perdidos”, afirmou Wendell Jefferson, auxiliar de informática, de quem partiu a iniciativa. Acidentes são frequentes no local, segundo o morador. Ele acredita que o serviço será concluído no próximo final de semana. “Tem uma hora que a gente cansa de esperar”.


Na rua Canto da Floresta, no loteamento Jardim Brasil, em Pajuçara, também na Zona Norte, os moradores aterraram a rua com metralha. O assessor de advocacia Elton Silva Freitas, foi um deles. Ele mora na rua há pouco mais de dois anos e já chegou a pagar várias caçambas de areia. “Só uma caçamba custa R$260. Já paguei várias. Mas não adianta. A chuva vem e leva tudo”. As crateras na Canto da Floresta atrapalham o tráfego e danificam os veículos. Quem se aventura, arca com o prejuízo. Elton, por exemplo, gasta R$400 a cada dois meses com a manutenção do carro. “Já troquei a suspensão do carro três vezes. Não tem jeito”, afirma. 

Buracos no cruzamento entre a avenida Moema Tinôco e a avenida Tocantinea, também em Pajuçara, obrigam os motoristas a dirigir em zigue zague, aumentando o risco de acidentes. “A empresa de ônibus já avisou que mudará o itinerário, se não taparem os buracos na região”, alerta Jefferson Andrade, vice-presidente do conselho comunitário de Jardim Brasil. Segundo Francisco Sidney Marques, presidente do conselho comunitário do conjunto e loteamento Brasil Novo, ônibus deixaram de circular várias vezes pela Moema devido aos buracos e constantes alagamentos.

Matéria publicada em 3 de novembro pela Tribuna do Norte mostrava que a operação ‘tapa buraco’, da prefeitura de Natal, estava suspensa desde agosto por falta de pagamento. Segundo a reportagem, a dívida com as empreiteiras que realizavam a “operação tapa-buraco” nas ruas de Natal girava em torno de R$ 2,5 milhões. O valor era uma estimativa do então titular da Semopi, Dâmocles Trinta. A equipe de reportagem tentou entrar em contato com o secretário de Obras Públicas e Infraestrutura, Sérgio Pinheiro, ontem para saber quando a operação seria retomada, mas não obteve êxito. O celular estava desligado.

Anúncios
Marcado:
Posted in: #ForaMicarla